Instância Lírica

Feliz dia das Mães

Posted in Uncategorized by julioglopes on maio 9, 2010

Olhares trocados, esperanças roubadas, mais uma vez não me deparo com seu olhar, seu sorriso, é impossível expressar como eu me sentiria feliz se eu conseguisse sentir isso de novo, se eu pudesse ter você me olhando e dizendo que me ama. Cada dia é um obstáculo, obstáculos que aprendo a enfrentar sozinho. Você entenderia cada problema que tenho, cada angústia, você jamais me julgaria, somente me amaria. Assim como deveria ser, na tristeza e na alegria, na saúde e na doença.

Nenhum homem te amou como uma mulher, mas um te amou de verdade, assim como você o amou, um homem que te amou como uma mãe, como amiga. Sem mais, porque mesmo que minha criatividade e minha tristeza me proíbam de escrever mais, o meu sentimento não se resumiria em cem, duzentas ou mil paginas de texto, e em noites de frio, a alegria de lembrar dos momentos que passamos irá me aquecer, assim como sempre foi, assim como sempre será. Feliz dia das Mães.

Anúncios

Alicerces Abalados

Posted in Uncategorized by julioglopes on janeiro 28, 2010

Assim como bonecas de criança e telefones celulares, os brasileiros têm um mecanismo que os limita a poucas funções. Ao invés de bonito por natureza – assim como em País Tropical – o Brasil é ignorante por natureza, a pobreza de conhecimento é a característica mais notória. O preparo e os estudos concentram-se nas mãos de uma minoria, que geralmente migra para outros países em procura de melhores condições econômicas, gerando um ciclo de empobrecimento cultural.

 O atual caso de desabamento provocado pela chuva gera uma preocupação que se exterioriza. O mesmo mecanismo que limita as pessoas faz com que elas não se preocupem com as medidas que estão sendo tomadas por trás desse conturbado cenário social, Gilberto Kassab congelou o dinheiro que previamente seria destinado a ajudar os habitantes das áreas de risco, enquanto isso, vereadores que antes posicionavam-se ao seu lado sentiram-se conturbados por não terem sido avisados de tais mudanças. Centralizar as obras em meio ao caos mostra que politicamente o prefeito não soube lidar com seu mandato.

O presidente Lula, em contraposição assinou uma medida provisória para ações preventivas contra a chuva, indubitavelmente o fato de 2010 ser ano eleitoral serviu como força eletromotriz para aprovação de tal medida. Ao contrário do mecanismo dos brasileiros de rejeição ao funcionalismo público, o interesse dos políticos faz com que o país seja guiado para um só caminho, só resta saber se é bom ou ruim…

Assim como as Estações..

Posted in Uncategorized by julioglopes on janeiro 28, 2010

A primavera levou as folhas que o Outono derrubou, mas não levou seu brilho. O verão trouxe luz e a deixou mais radiante. Porém, o tempo passou e levou com ele os momentos que passamos juntos, apesar de nada ter mudado nesse coração escondido atrás da insegurança, o tempo levou o sentimento de carinho e deixou a rispidez, nem o sol do verão e as flores da primavera me fazem esquecer o quão belo era aquele amor de outono. De que adiantam as lágrimas? Elas só servem para te carregar para longe de mim. Posso tentar, mas não consiguirei desistir, desistir foge à minha personalidade. Passar-se-ão várias primaveras, mas a felicidade só será plena quando o sentimento daquele frio outono estiver presente na mais bela primavera ou no mais quente verão, só resta saber quantas primaveras terei de esperar para voltar a sentir o cheiro dos lírios.

O telefone toca, ocupado..

Posted in Uncategorized by julioglopes on dezembro 1, 2009

O telefone toca. A respiração aumenta. Não passa de uma surpresa, não era o esperado. Na rotina da monotonia, a espera de uma mensagem ou de um sinal de vida exteriorizam-se transformando-se em algo atípico, semelhante a um conto de fadas, só que dessa vez, sem abóbora que vira carruagem ou maçã que semeia amor – apesar de que não seria uma má idéia – ao contrário disso, tudo aqui é realidade, e como já virou costume, o clichê ´´a realidade é dura´´ acaba sendo uma personificação demasiadamente inerente. Posso ter plantando discórdia ou correspondido de forma antagônica, mas tudo que fiz foi sincero – não questiono suas atitudes, sei que tudo foi sincero- foi verdadeiro. Posso não ser a melhor pessoa para você, posso não saber te satisfazer, posso não ser alguém à sua altura, mas sou eu quem te amo, não cansei de tentar por um bom tempo, e quando a gota da água caiu e sujou o chão você não soube compreender, ao contrário, mostrou repudia e raiva. O Pior de tudo? É, meu coração não se engana, e nunca vai enganar-se.

Monopólio da Censura

Posted in Uncategorized by julioglopes on novembro 8, 2009

O Cesarismo nunca esteve tão presente na sociedade nos últimos anos de governo Lula, com os desvios de dinheiro, Sarney conseguiu atrair a luz das câmeras para si, mas também conseguiu desviá-las, ou melhor, destrui-las. Fundamentando um monopólio de poder, Sarney coloca hoje em prática uma censura de imprensa, uma censura onipresente, porém, escondida.

Através da restrição do investimento publicitário nos jornais, ele consegue controlar o que pode e o que não pode ser publicado a seu respeito. Um dos maiores e mais renomados jornais do Brasil já enfrenta essa situação, nem mesmo os pequenos movimentos e passeatas contra Sarney surtam em efeitos positivos, onde estão aqueles brasileiros que conseguiram declarar impeachment para Collor em 92?

Os próprios politicos – que vivem entre o privado e o estatal, sem saber situarem-se – já tentaram algo em tempos remotos, o Plano da Vassoura que visava ´´varrer´´ os indices de corrupção empregado por Jânio Quadros, a derrubada de Fulgêncio Batista –  o que a principio dizia ter a finalidade de acabar com a corrupção, mas com o tempo adquiriu formas caracteristicas de uma visão extrema-esquerdista- mas nenhuma dessas tentativas realmente funciona, pois nesse sistema hierárquico politico, sempre haverá relações de subordinação e aceitação, e para a população, uma relação de acomodação. O poder publico sempre modelará a nação a seu favor. Um sistema excludente? Os emancipancionistas baianos do século XIX seriam essenciais hoje.

Pizza no senado, mais uma vez?

Posted in Uncategorized by julioglopes on novembro 8, 2009

Fundação Sarney, desvio de capital, empresas fantasmas e endereços ficticios, todos os seguintes fatos estão inseridos no atual contexto da sociedade brasileira. Indubitavelmente já tornaram-se inerentes a um processo degradante denominado modismo, que de forma simples pode ser aceito como a acomodação com fatos inaceitáveis, que estão contextualizados na sociedade pela frequência com que se apresentam no cotidiano.

                Para os mais dogmáticos a situação do Brasil não tem nada de atipico. Quinhentos mil reais desviados de projetos culturais para empresas privadas já não é considerado um escândalo digno de primeira página no jornal.

Muitos julgamentos podem ser feitos sobre esses acontecimentos, os fatos do passado podem ser usados como fonte comparativa, porém, na essência a vida política do brasil sempre foi a mesma, muito conturbada e repleta de mentiras. Mentiras que em pouco tempo desaparecem, pois no conturbado cenário politico quem manda é o interesse.

                Collor, Lula e Sarney, os três que previamente eram inimigos, desfrutam hoje de uma pizza no Senado. Lula em busca de apoio para diminuir a oposição, Sarney em busca do silêncio  – o que de fato já conseguiu, tempos de DIP não fogem a realidade – e Collor em busca de atenção, fazendo com que mais uma vez eles saiam livres, e de surpresa em surpresa a rotina brasileira esconde as mentiras sobre a sombra da imparcialidade e da ignorância.

Feixes monocromáticos

Posted in Uncategorized by julioglopes on agosto 18, 2009

Entre edições de jornais folheadas e um copo de café gelado pelo tempo, insisto em morder o lápis ou olhar pela janela em busca de inspiração, mas tomar decisões exige muito mais do que inspiração ou atitudes – e diga-se de passagem, essas táticas não são muito úteis para arquitetar tal- exigem convicção e prestatividade.
Tudo fica mais fácil quando se é apoiado ao tomar decisões, porém, quando isso não acontece, é que percebemos que `nem tudo são flores` e que o tempo vive de sentimentos antagônicos, quando queremos que ele passe rápido, as horas custam a passar, porém, quando nos esquecemos dele, não as vemos passar.
E o tempo é o senhor da razão, basta ver sua foto sobre minha estante. Perdeu toda a cor, toda a vida, transformou-se em um feixe de luz monocromático, não pelo tempo transcorrido, mas sim pelo fato de os sentimentos terem se tornado passado, uma típica história de amor. O tempo passa, a vida passa, e assim nós vivemos, deixando o tempo passar, preocupados com o que fazer, preferimos omitir os sentimentos e deixar que o tempo se encaregasse de dizer o que sentíamos.
Parece-me que mais uma vez o tempo venceu..

Posted in Uncategorized by julioglopes on junho 27, 2009

            Realmente, a felicidade é uma coisa incrivel, um só sentimento consegue ser o agrupamento de todos os outros. Mas, digamos que a confiança também é grande competidora nesse pódio, existe coisa melhor do que poder acreditar em alguém?

            Apesar de vivermos em uma sociedade onde a inveja marca presença todos os dias, é inevitável dizer que ainda assim existem pessoas que mantém suas amizades, seus laços de confiança. Por experiência própria posso dizer que a índule humana não é flor que se cheire, fato. A vontade de ter o que o outro tem, ou somente a raiva, sempre foram as engrenagens para a vida em sociedade, pois apesar de incovenientes, são elas quem instigaram os maiores romances e a maiores histórias.

            Essa balela crônica não agrada nenhum leitor, ainda mais em tempos como esses, onde àqueles que escrevem não estam muito gratos com a sociedade, pois desde quando jornalismo não è uma profissao digna de um diploma? Retomo o que havia dito na primeira postagem, o Brasil está passando por um processo de emburrecimento cada vez mais forte, mas como os brasileiros acabam ignorando os fatos, pensando que quando necessário o ´jeitinho brasileiro´ solucionará os problemas, esse processo de emburrecimento se torna cada vez mais tênue no dia a dia, porém, ainda existem aqueles que lutam pelo Brasil, mas quem em plena consciência poderá dizer que 1% salvará 100%?

É preciso que todos se conscientizem, não somente nessa questão, mas em todas, portanto, o que é preciso para o povo brasileiro? Atitudes nacionalistas seriam bem vindas – não precisando chegar ao extremo ufanista- mas sem dúvida, atitude, essa sim é a palavra-chave para a mudança.

Posted in Uncategorized by julioglopes on junho 21, 2009

Quando tudo parece estar em um plano estático, sem mudanças, isso me acontece!

E fato, que isso só serviu para aumentar minha felicidade exponencialmente.

Início, Meio e Fim.

Posted in Uncategorized by julioglopes on junho 20, 2009

  Sempre é complicado dar início a algo novo, independente do que seja, desde um relacionamento, a um trabalho ou a simples futilidade -para alguns- de escrever em um blog.

  Nada melhor para começar, do que me expressando, expondo minha opinião através de palavras. Escrever é pensar, é criar, e teoricamente qualquer um pode fazê-lo, mas há aqueles que não comunicam nada ao leitor, visto que não sabem escrever, parece que o Brasil em especial vive essa realidade por estar em um constante processo de ´emburrecimento´, leis de gramática são criadas, neologismos são adaptados para a escrita formal, e tudo isso para facilitar a comunicação. Mas serà que tal processo não acaba tornando-se degradante ao ser aplicado continuamente?  Basta notar as crianças, experimente fazer uso de um léxico mais rebucasdo diante de uma delas, nenhuma delas saberá dar continuidade à conversa, porèm, tente usar palavras americanizadas ou referentes à vida virtual, a tão questionada ´second life´ que os jovens vivem, eles não somente entenderão, mas se sentirão aptos a discutir, argumentar, ou seja, conversar.

 

Não questiono as mudanças, acredito na ideologia de que tudo muda – vide Heráclito –  mas também acredito que há mudanças que não vêm para o bem, se tal processo continuar simplificando cada vez mais a escrita, em pouco tempo viveremos de um neologismo monossilábico, mas deixo claro que não tenho apreço por uma escrita onde a forma é mais importante que o sentimento, ao contrário disso, expressoes de teor simbolista e/ou cultista como essas não me agradam, mas penso que boa escrita e expressão devem trabalhar em conjunto, em harmonia, reafirmando a cultura de uma nação, e não a ignorância, essa última prefiro deixar de lado.